Quem quer ser vegetariana?

A ingestão de frutais e vegetais frescos é um estilo de vida saudável
O vegetarianismo é um estilo de vida natural que tem como base uma alimentação saudável, com exceção do consumo de carne vermelha e branca, e a preferência por alimentos frescos de maior vitalidade. É praticado por vários tipos de pessoas desde a antiguidade.

A nutricionista e coordenadora do curso de Nutrição do Centro Universitário de Araraquara (Uniara), Ana Carolina Carneiro, explica que há principalmente quatro formas de dietas vegetarianas, classificadas de acordo com os tipos de alimentos que são consumidos. São elas:

Ovolactovegetarianismo: permite o consumo de ovos, leites e derivados e nenhum tipo de carne
Lactovegetarianismo: aceita o consumo de leite e derivados e nenhum tipo de ovos e carne
Ovovegetarianismo: admite o consumo de ovos, mas nenhum tipo de leite, derivados e carne
Vegetarianismo estrito: permite o consumo apenas de alimentos de origem vegetal

Na visão de Ana Carolina, o vegetarianismo estrito não é uma dieta ideal. "Sou a favor da moderação e não da radicalização. Os praticantes dessa dieta apresentam menor ingestão de vitamina B12, cálcio, selênio, iodo, ferro e zinco", diz. Além disso, a nutricionista ressalta que a dieta vegetariana estrita não é recomendável para bebês, crianças e adolescentes devido ao risco de falta de nutrientes no organismo.

Por outro lado, explica a nutricionista, as demais dietas vegetarianas apresentam benefícios. Elas são ricas em carboidratos, fibras, magnésio, potássio, antioxidantes (vitaminas C e E), fitoquímicos e têm baixa ingestão de gordura saturada e colesterol.

Fique de olho!

A alimentação vegetariana adequada é capaz de atender às necessidades nutricionais do organismo, mas é importante consultar um nutricionista para garantir a combinação ideal dos alimentos e não aumentar o risco à saúde por inadequação alimentar.

Texto: VC