Mostrando postagens com marcador Estética. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Estética. Mostrar todas as postagens

Plástica no bumbum: lipoenxertia ou prótese?

Ter um bumbum bonito e durinho já é um sonho mais do que possível 
A busca por melhorar a aparência e a forma do bumbum tem levado a um aumento na procura por cirurgias plásticas nessa área do corpo.

E são dois principais tipos de intervenções para os glúteos: a lipoenxertia estruturada e a prótese de silicone, indicadas sempre após uma criteriosa avaliação médica, respeitando as características clínica e física de cada paciente, conforme explica o médico Marcelo Wulkan, cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da Rhinoplasty Society e coordenador do Wulkan-Hurwitz Center for Plastic Surgery.



Conheça as técnicas cirúrgicas para o bumbum
 
A lipoenxertia estruturada pode ser feita em conjunto com a lipoaspiração. A gordura retirada de áreas como abdômen, culote, braços e coxas é tratada por meio de decantação e/ou centrífugação, com o objetivo de depurar o material e remover fragmentos, como sangue e soro que foi utilizado na lavagem, e injetá-la novamente no organismo. “A lipoenxertia estruturada é indicada em situações nas quais a gordura da paciente é suficiente para fornecer o aumento desejado ou preencher pequenas áreas de depressão”, explica o médico.
 
Já a prótese de gel de silicone é colocada entre os músculos das nádegas. A cicatriz fica escondida no sulco entre os glúteos e, normalmente, é de difícil percepção. O procedimento é indicado para quem deseja um grande aumento de volume com resultados quase que imediatos. "Mas existem algumas desvantagens, pois a prótese pode se mover, lesar nervos ou acontecer uma assimetria entre os dois glúteos", alerta Dr. Wulkan.

O pós-operatório das duas intervenções são diferentes, uma vez que o da prótese de silicone pode ser mais doloroso. Neste caso, a paciente não pode se deitar ou sentar no bumbum por alguns dias e, dependendo da técnica do cirurgião, será preciso retirar os pontos caso eles não sejam internos e absorvíveis. Além disso, a cicatriz é um pouco maior, pois precisa permitir a inclusão do implante. Já na lipoenxertia estruturada, o pós-operatório, geralmente, é bem menos doloroso. A pessoa pode sentar e deitar logo após o procedimento e não é necessária a retirada dos pontos, pois são poucos, internos e absorvíveis.
 
“A escolha da melhor técnica deve ser feita juntamente com o cirurgião, que irá avaliar o perfil e explicar as vantagens e desvantagens de cada uma delas para a paciente”, finaliza o cirurgião plástico.

Texto: VC


Drenagem linfática em casa

A drenagem linfática beneficia a barriga, o bumbum e as pernas
Amenizar a celulite, eliminar toxinas, estimular a circulação e desinchar o corpo em casa e sozinha tem jeito? Tem sim! Algumas manobras simples e fáceis farão um ótimo trabalho.

O segredo é reservar três dias por semana para a massagem, que deve ser feita sempre após o banho e com a ajuda de um creme anticelulite ou redutor de medidas.

Barriga
Comece colocando as mãos na cintura. Como se você estivesse espremendo a barriga, deslize as mãos pressionando-as até que elas se encontrem no umbigo. Em seguida, faça com que as mãos desçam com uma leve pressão em direção à virilha. Faça 5 vezes. Agora posicione os três dedos do meio acima do seu umbigo. Faça uma massagem capaz de pressionar e contornar o umbigo, bem devagar, em espiral. O movimento começa curto e deve ir descendo. Repita 5 vezes. 

Bumbum
Posicione os três dedos do meio na dobrinha do bumbum. Pressione moderadamente os dedos médio e indicador e suba-os lentamente, até a cintura. Faça esse movimento 8 vezes.

Pernas
Com os pés apoiados em uma bancada, vá apertando as pernas do tornozelo em direção ao joelho como se você estivesse vestindo uma meia calça. Na seqüência, faça o movimento da coxa ao bumbum. Repita 12 vezes. 

Texto: Vanessa Cusumano



Sim, as próteses de silicone também têm prazo de validade!

É preciso ficar atenta aos sinais e consultar o médico regularmente
Depois de muito conversar com o seu cirurgião plástico, você decidiu colocar silicone nos seios. A operação foi um sucesso, você ficou feliz com o resultado e o tempo foi passando. Agora responda: você visita o médico periodicamente para saber se está tudo em ordem?

Essa atitude é fundamental, pois as próteses têm prazo de validade e precisam ser trocadas após alguns anos.

Embora os médicos não estipulem um prazo certo para a substituição, toda mulher que colocou silicone nas mamas fatalmente terá que voltar para a mesa de cirurgia algum dia.

O bom é que, normalmente, a cirurgia para a troca da prótese costuma ser mais simples e rápida do que a primeira operação.

Deixar para procurar o especialista apenas quando aprece alguma complicação, como endurecimento do seio, dor ou assimetria das mamas, é um erro que pode custar caro. Nesse estágio, em grande parte das vezes, as próteses já estão rompidas, o que traz riscos à saúde e torna a cirurgia de reparação mais difícil. 

Ainda que as próteses modernas sejam cada vez mais seguras, nenhuma pode ser deixada na mama por tempo indeterminado, sem acompanhamento médico. O ideal é que após 10 anos com a prótese, o acompanhamento com o cirurgião plástico seja feito anualmente. Lembrando que a visita anual ao seu ginecologista também é super importante.

Vejas as principais perguntas e respostas sobre o assunto:

Qual o prazo de validade da prótese?
Não existe um prazo determinado. As mais antigas devem ser acompanhadas anualmente após 10 anos da cirurgia. As mais modernas costumam durar mais (cerca de 15 anos), mas também devem ser acompanhadas de perto pelo médico.

Quando existe algum problema?
Qualquer sinal diferente do normal merece atenção. Procure seu médico se sentir dor nos seios, quando algum deles ficar mais duro do que o outro, quando perceber alguma diferença estética entre as mamas ou quando notar caroços ou nódulos.

Qual o perigo do silicone?
Quando a prótese se rompe, o silicone pode vazar e provocar inflamações crônicas nos tecidos e nos músculos.

Como é a cirurgia de substituição da prótese?
Se a prótese ainda não se rompeu, a operação é simples e mais rápida que a primeira cirurgia. Normalmente, o médico usa a cicatriz já existente e não precisa colocar drenos.

Texto: Vanessa Cusumano



Outono/inverno: épocas mais frias do ano são ideais para tratamentos estéticos

O outono e o inverno são as melhores épocas para tratar o rosto e o corpo 
As estações mais frias do ano são ideais para tratamentos de corpo e rosto. “Os melhores resultados são conseguidos nessa época do ano, pois o clima mais fresco proporciona um pós-operatório mais confortável e uma recuperação mais rápida. Além disso, há redução dos riscos de manchas ou outros efeitos indesejados em razão da menor exposição aos raios solares”, explica o dermatologista da Clínica Derm, de São José do Rio Preto, João Carlos Pereira.

Segundo ele, nesta época do ano, a procura por tratamentos antienvelhecimento contra rugas e flacidez aumenta. “As manchas [sardas, pintas, melanoses e melasmas] são uma das queixas mais tratadas neste período”, conta. “As cirurgias dermoestéticas também aumentam 30% devido à recuperação ser mais rápida”, completa.

Neste período, sugere Pereira, você também já pode começar os tratamentos para o corpo contra a celulite e a flacidez, que demandam maior tempo. Assim, quando o verão chegar, o corpo já estará prontíssimo para as praias e piscinas.

Saiba o que você pode fazer para ficar com o corpo e rosto lindos no outono e no inverno.

Em casa

• Use hidratantes, sabonetes neutros e cremes com maior poder de hidratação e proteção.

• Para evitar rachadura nos lábios, o ideal é usar um emoliente à base de ceras ou manteiga de cacau.

• Nas mãos, além de sabonetes líquidos hidratantes, cremes especiais reaplicados após as lavagens dão grande sensação de conforto e bem-estar.

• Evite banhos muitos quentes, pois eles desidratam e ressecam a pele, que se torna áspera com mais facilidade. Após as duchas, use sempre um hidratante.

No consultório

Manchas na pele: o RubiLaser é a última palavra em tecnologia no combate às manchas, principalmente aquelas causadas pela exposição aos raios solares. O tratamento também pode ser feito com a Luz Intensa Pulsada (StarLux Laser) e peelings a base de ácidos suaves. A pele fica sensível, escurece ligeiramente e descama. O tratamento é feito com uma sessão mensal durante três meses.


Rugas e rejuvenescimento facial: neste período, o rosto fica vulnerável ao frio e aos raios solares. O ressecamento e as marcas de envelhecimento ficam bem visíveis. Os tratamentos podem durar até dois meses. A toxina botulínica trata as rugas de expressão rapidamente enquanto o LuxFractional Laser (Fraxel) cuida da textura da pele em poucas semanas.

Rugas de envelhecimento: a pele tem que ser afinada e descamada para que os vincos sejam minimizados. Para isso, podem ser feitos tratamentos mais profundos com o LuxFractional Laser CO2 e superficiais com o LuxFractional Glass. Mais econômico, o peeling de cristal (microdermoabrasão) também consegue bons resultados.

Sulcos, vincos profundos e cicatrizes: são preenchidos e desaparecem com os produtos à base de ácido hialurônico, polimetilmetacrilato e ácido polilático. O resultado é imediato.

Remoção de pêlos: como este tratamento é feito com laser e a pele não pode estar bronzeada, é o procedimento ideal para esta época do ano. O aparelho preferido dos dermatologistas em todo o mundo é o LightSheer (XC) por sua eficácia. Já o aparelho Siberium é o novo aliado da depilação a laser. Ele resfria a pele com um jato de ar frio, eliminando o desconforto nas pessoas mais sensíveis.

Remoção de tatuagem: assim como os pêlos, as tatuagens também só são eliminadas com os lasers. O novo RubiLaser é o tratamento revolucionário para eliminar tatuagens, maquiagem definitiva, manchas e pintas da pele.

Celulite: se a idéia é estar em forma para o verão, comece já! A melhor opção é o Velashape, que é a última palavra em tecnologia, pois combate a maioria dos fatores que levam à celulite associando quatro tecnologias: radiofreqüência, infravermelho profundo, suave massagem mecânica e pressão negativa na pele (efeito sucção). Os resultados são visíveis logo nas primeiras sessões. O tratamento completo dura de 45 a 90 dias, dependendo do caso.

Gordura localizada: aqui a solução é a Lipolight que é realizada por áreas (abdômen, flancos, dorso, culotes) uma região de cada vez, em procedimentos menores, confortáveis e seguros. A anestesia é local. Comparado com lipoaspiração convencional, o resultado é mais rápido e o paciente pode retornar às atividades normais de imediato.

Estrias: As melhores opções entre os vários tratamentos são: Fraxel Laser (para as estrias antigas), pois retrai e nivela a pele além de estimular o colágeno, e o LuxFractional Laser (Fraxel). Para as estrias vermelhas, o aparelho Thermacool (radiofreqüência) consegue resultados surpreendentes com 3 a 5 sessões mensais.

Texto: VC


Clareamento dental: dê adeus ao sorriso amarelo

O clareamento dental é capaz de garantir dentes super branquinhos
Ter um sorriso bonito eleva a auto-estima de qualquer um. Mas, infelizmente, isso não é privilégio de todos, pois com o passar dos anos os dentes vão escurecendo, manchando e perdendo o brilho. Resultado: muita gente acaba escondendo o sorriso.

Alguns dentes se tornam pigmentados apenas pelo decorrer do tempo, mas a maioria escurece por causa do consumo de café, sucos, refrigerantes, uso de remédios fortes, pelo hábito de fumar ou até pelo excesso de flúor ingerido. Restaurações antigas, dentes com canal tratado ou traumatizados também são causas de escurecimento.

A boa notícia é que esse problema tem solução. Com um bom clareamento dental, você pode recuperar seu sorriso e deixar os dentes mais branquinhos, dignos das estrelas de TV.

O procedimento pode ser feito no consultório do dentista ou em casa com um gel oxidante fraco. Porém, mesmo sendo feito em casa, o clareamento dental deve ter a orientação e o monitoramento de um profissional. No consultório, o dentista pode fazer uso do laser ou de uma luz especial. Em alguns casos, as duas técnicas (laser e luz) podem ser conjugadas para se obter um resultado ainda melhor.

Para esclarecer algumas dúvidas sobre o tratamento, convidamos a especialista do Portal do Sorriso, a dentista Eliana Akemi Miadaira. Confira:

O que é a técnica do clareamento dental?
O clareamento dental é o tratamento que utiliza géis oxidantes para clarear os dentes que sofreram alteração de cor. As moléculas destes géis penetram no esmalte e na dentina liberando oxigênio, que transforma a substância que tinha cor em uma molécula sem cor.

Qualquer pessoa pode realizar este tipo de tratamento?
O clareamento não é indicado para gestantes, pacientes com sensibilidade, que tenham retração gengival, restaurações amplas ou que possuam dentes com manchas severas causadas pelo uso de antibióticos.

Quantas sessões devem ser feitas para obter resultados?
Não há um número exato para as sessões de clareamento. É importante estar consciente de que a intensidade da alteração de cor varia em cada paciente.

Os produtos usados no clareamento dentário prejudicam as restaurações?
Não. Os produtos não agirão sobre os materiais usados na restauração.

É verdade que o clareamento deixa os dentes mais sensíveis?
É comum o clareamento deixar os dentes mais sensíveis durante o tratamento, porém a sensibilidade cessa após o término das sessões. A intensidade da sensibilidade varia, dependendo de cada paciente. Pode ocorrer também uma irritação na gengiva.

É possível fazer clareamento apenas em alguns dentes específicos ou ele deve ser feito em toda a boca?
O clareamento pode ser feito em um ou em vários dentes, dependendo das necessidades de cada paciente.

O clareamento dental custa caro?
O tratamento varia de R$ 300 a R$ 1200.

Texto: VC

Matéria sugerida por: Priscila do Prado Dieb


Nariz novo

O sucesso de uma rinoplastia depende do antes e do depois
Das duas uma: ou você procura a rinoplastia para retificar pequenas imperfeições ou para corrigir defeitos de função, como o desvio do septo por exemplo. Bom, talvez você busque operar seu nariz pelos dois motivos.

Em todo caso, vale a pena saber como será em detalhes o antes e o depois da operação, pois isso pode te ajudar a tomar a decisão correta - sempre, claro, levando em conta a opinião do seu médico.

Porém, tenha em mente uma das principais regras quando se fala em plástica: a cirurgia pode ter sido tecnicamente perfeita, mas as estruturas vivas em que o médico atuou podem proporcionar resultados diferentes daquilo que você espera.

Isso sem contar as limitações anatômicas com as quais o cirurgião se depara na mesa de operação. É aí que entra aquela velha história da paciente que chega ao consultório com uma foto de um nariz que ela gostaria de ter.

Portanto, esqueça a idéia de ter o nariz da Xuxa simplesmente porque você não é Xuxa! Na hora da cirurgia, o médico vai levar em conta o formato do seu rosto para que o resultado seja o mais natural possível.

Por este motivo, expectativas exageradas em torno da operação são prejudiciais. Fale bastante com seu médico, pergunte tudo e só parta para a empreitada depois de sanadas todas as suas dúvidas. De antemão, confira o que preparamos para você!  


Antes
Converse com seu médico até dois dias antes da operação se você tiver febre, gripe ou qualquer outra indisposição.

Evite bebidas alcoólicas e refeições pesadas na véspera da cirurgia.

Peça para alguém ir com você no dia da operação.

Evite medicamentos para emagrecer, diuréticos e derivados do ácido acetilsalisílico por um período de sete dias antes do ato cirúrgico. 

Não use absorvente íntimo no dia da cirurgia (se for o caso, opte pelo comum).

Respeite o jejum recomendado pelo seu médico.


Depois
Obedeça às recomendações do seu médico.

Evite sol, vento ou friagem especialmente nos três primeiros dias.

Troque o curativo externo sempre que necessário, seguindo as orientações médicas.

Não danifique e nem molhe o gesso. Também não caia na tentação de querer removê-lo para ver como o seu nariz ficou. O gesso ajuda a modelagem do nariz e contém as fraturas.

Não assoe o nariz e desvie eventuais espirros pela boca.

Não use óculos até que o médico autorize.

Não tome sol de praia ou piscina durante três meses. Exponha-se ao sol da rua se necessário a partir do oitavo dia e com moderação.

Volte ao consultório nos dias marcados para a troca do curativo.

Aguarde a retirada dos tampões pelo médico.

Não se preocupe com o aspecto do seu nariz após a remoção completa dos curativos, pois ele estará inchado e isso passará com o tempo.

Nos primeiros dias, durma com o rosto virado para cima e com a cabeça discretamente elevada com a ajuda de travesseiros. Não vire de lado.

É normal o rosto inchar e apresentar equimoses nos primeiros dias. Com o passar do tempo, seu rosto voltará ao normal.

Você sentira um pouco de dificuldade para respirar no pós-operatório. Isso é normal e passa dentro de algumas semanas.

Principais dúvidas sobre rinoplastia

A rinoplastia deixa cicatrizes?
Toda cirurgia deixa cicatriz, porém na rinoplastia as marcas ficam dentro das fossas nasais, invisíveis portanto. Se houver alguma incisão externa, ela será feita em áreas estratégicas para que as cicatrizes se tornem imperceptíveis.

Corro algum risco durante a cirurgia?
Toda cirurgia, por menor que seja, não está livre de imprevistos. No entanto, raramente acontecem complicações durante a rinoplastia.

Quanto tempo demora a operação?
Normalmente, duas horas. Em casos mais complexos, este tempo pode ser ultrapassado.

Que anestesia é usada?
Seu médico irá decidir entre a anestesia geral e a local.

Precisa de internação?
Em alguns casos, o paciente é liberado no mesmo dia da operação. Algumas pessoas, no entanto, podem ficar em observação por um dia.

O pós-operatório é muito doloroso?
Os médicos afirmam que é praticamente indolor. Alguns incômodos podem surgir e são facilmente controlados com analgésicos comuns. É importante seguir todas as recomendações médicas para uma rápida recuperação. 

Em quanto tempo eu vejo o resultado final?
Como o pós-operatório passa por diversas fases de evolução, você só conhecerá o resultado definitivo da sua cirurgia seis meses depois da operação, tempo gasto para a pele e o tecido subcutâneo se adaptarem à nova estrutura. Algumas pequenas imperfeições podem ser notadas até lá, mas elas sumirão. 

Texto: Vanessa Cusumano


Enfrente a celulite!

Os vilões: alimentação inadequada, sedentarismo e hormônios femininos
Ainda dá tempo de curtir o verão sem culpa e sem celulite. A estação dos shortinhos e dos biquínis está logo aí e você não precisa se esconder. Encare o problema de frente e aprenda a escapar dele rapidinho.

Mas, afinal, por que a celulite aparece? Aqui vai a explicação: ela acontece por causa do aumento da gordura em determinadas regiões do corpo, seja por erros alimentares, sedentarismo ou ação hormonal.

O excesso de gordura comprime as microveias e os vasos linfáticos, o que dificulta a nutrição celular e impede a eliminação das toxinas. O resultado disso são nódulos e depressões na pele. Portanto, você sempre vai ouvir por aí que a celulite é um processo que envolve diversos fatores. Por este motivo, para se ver livre deste mal, é preciso procurar um tratamento adequado, mudar os hábitos alimentares e fazer exercícios físicos.

As mulheres são as grandes vítimas, pois o tecido gorduroso feminino é bem diferente do masculino e os nossos hormônios dirigem o excesso de gordura para regiões específicas, como bumbum, coxas e joelhos. E não pense que as magrinhas estão livres da celulite não, pois o tecido gorduroso está presente em todas as pessoas, independente do peso. Neste caso, basta ser mulher.

Em último caso, se nada der certo mesmo, tenha em mente que 99% das mulheres têm ou terão celulite. Eis aí algo naturalmente feminino e que não deve, de modo algum, tirar o seu sono. Lembre-se: você pode fazer inúmeros procedimentos estéticos, mas nunca deixará de ser mulher, e é o que basta para desenvolver o problema. Porém, fica a dica: se a celulite incomodar, procure um médico o quanto antes, afinal, é sempre mais fácil tratá-la nos estágios iniciais.

Tipos de celulite

A celulite apresenta quatro estágios de evolução. São eles:

Grau 1: A gordura está acumulada nas células, que aumentam de volume. Quando submetida à pressão, a área afetada apresenta uma discreta deformidade. Não há dor e nem alterações circulatórias. O tratamento reverte o quadro.

Grau 2: As células estão um pouco mais cheias de gordura. Em função disso, acontece a compressão dos vasos sangüíneos e linfáticos. As toxinas, que deveriam ser eliminadas, se acumulam. Há inchaço e alterações visíveis na pele. Não há dor. É possível minimizar o problema por meio de tratamento.

Grau 3: Como as células gordurosas ganham ainda mais volume, surgem nódulos visíveis na pele. O tecido gorduroso endurece, há maior deficiência circulatória e grande acúmulo de toxinas. A pele fica com o aspecto de casca de laranja. A celulite se torna dolorosa quando apertada. Aparece a sensação de peso e cansaço nas pernas, pois a circulação já está com problemas. O tratamento é difícil e o problema pode regredir ao Grau 2.

Grau 4: Este é o último estágio e o mais complicado de ser tratado. O tecido gorduroso se torna muito endurecido e doloroso, a circulação fica bastante comprometida e a pele ganha depressões e aspecto acolchoado. As pernas ficam inchadas, pesada, cansadas e doloridas sem esforço. É possível apenas minimizar o quadro

Principais tratamentos contra a celulite

Existem diversos procedimentos estéticos disponíveis. Eles podem ajudar, mas não fazem milagres isoladamente. É preciso atacar o problema em outras frentes também. Isto significa que, para se ver livre da celulite, junto com o tratamento, você deve manter uma alimentação saudável, fazer alguma atividade física e não sair do seu peso ideal.

Se você pensa em recorrer aos cremes disponíveis no mercado, saiba que eles são capazes de amenizar a celulite de forma superficial e requerem disciplina ferrenha no uso.

Os procedimentos estão aí, portanto, para dar uma mãozinha. Converse com seu médico sobre eles, pois existem contra-indicações. Conheça agora os principais tratamentos*:

Carboxiterapia
Injeção de gás carbônico (CO2) por meio de um aparelho específico. O CO2 entra na pele e provoca uma hiperoxigenação no local. O procedimento aumenta a circulação sangüínea e a produção de colágeno, além de diminuir os radicais livres. Cada aplicação custa cerca de R$ 200 (são necessárias, pelo menos, cinco sessões).

Endermologia
Drenagem linfática profunda feita por intermédio de aparelhos. A circulação é estimulada e os nódulos fibrosos da celulite são rompidos. Cada sessão sai por R$ 70 em média (são necessárias, no mínimo, 20 sessões).

Eletrolipoforese
Introdução de agulhas super finas na pele com o objetivo de diminuir as células de gordura e aumentar a produção de colágeno. As agulhas conduzem uma corrente elétrica suave. A sessão custa, em médica, R$ 200 (são necessárias 10 sessões, no mínimo).

Hidrolipoclasia
Injeção de solução hipotônica seguida por ultra-som e drenagem linfática. O soro faz a célula adiposa inchar. Ela se rompe ao ser submetida à vibração das ondas ultra-sônicas. A drenagem ajuda na eliminação da gordura e do soro que estão dentro das células. São necessárias de seis a oito sessões. Cada uma delas custa cerca de R$ 200 (é preciso se submeter a aproximadamente 10 sessões para ver os resultados).

Intradermoterapia
Injeção de drogas com lipolíticos, que quebram a gordura. São aplicadas micro quantidades de medicamento, que também melhora a circulação sangüínea. Age diretamente na área comprometida. A aplicação sai por R$ 200 (são necessárias cerca de 10 sessões).

Ultra-som
Elimina fibroses que a endermologia não conseguiu extinguir. A sessão custa aproximadamente R$ 100 e o número mínimo varia.

* Os valores foram cotados em dezembro de 2007.

Seis passos para evitar a celulite

1. Beba muita água
O corpo hidratado trabalha melhor. Rins, circulação sangüínea, liberação de toxinas, tudo isso acaba funcionando corretamente quando bebemos pelo menos dois litros de água por dia.

2. Diminua o sal
Ele faz seu corpo reter líquido e deve ser usado com moderação. Evite alimentos pré-cozidos e embutidos, que contêm muito sódio (o grande vilão). Prefira o sal grosso, que possui minerais, confere mais sabor ao prato e pode ser usado em pouca quantidade.

3. Mantenha-se no seu peso ideal
Dietas ricas em gorduras engordam. Mulheres obesas possuem muito mais chances de desenvolverem celulite.

4. Tenha uma alimentação saudável
Gorduras e açúcares em excesso aumentam o acúmulo de toxinas no organismo. Celulite na certa! Evite doces, frituras, conservantes, alimentos feitos com substâncias artificiais e ricos em gordura. Consuma frutas, legumes, verduras e carnes magras.

5. Consuma mais fibras
Alimentos ricos em fibras fazem o intestino trabalhar melhor e eliminar toxinas e gordura. Frutas, verduras, cereais e legumes são as melhores pedidas.

6. Pratique exercícios físicos
Eles restituem a circulação sangüínea, queimam as gordurinhas e melhoram a qualidade de vida.

Texto: Vanessa Cusumano


Encarando a plástica

Inúmeros fatores influenciam o resultado final de uma cirurgia plástica
O principal objetivo da cirurgia estética é fazer com que uma pessoa se apresente fisicamente da maneira mais agradável possível a si mesma. Portanto, se você procura a plástica em busca de modificações radicais ou milagrosas, melhor esquecer o assunto.

Mistura de ciência e arte, ela não faz milagres e não é uma ciência exata, como a Matemática, por exemplo. Conseqüentemente, só deve fazer a cirurgia quem realmente se sente motivado, e somente quando o cirurgião julgá-la indicada. Caso contrário, o resultado final será uma grande decepção, ainda que a intervenção tenha sido considerada tecnicamente excelente.

Converse detalhadamente com o seu médico sobre o procedimento. Somente ele poderá lhe passar todas as informações corretas e sanar todas as suas dúvidas.
Saiba, porém, de antemão que alguns elementos que não dependem da atuação do cirurgião influenciam, e muito, o saldo final de uma cirurgia. Por este motivo, fica praticamente impossível garantir resultados bem específicos. Os fatores são os seguintes:

• a cicatrização
• as condições determinadas pela espessura e textura da pele
• as influências hereditárias e hormonais
• o momento psicológico vivido pelo paciente

Claro que uma técnica apurada irá contornar várias situações, mas é preciso que o médico conte com a colaboração plena do paciente, que deve seguir todas as instruções dadas.

Cada pessoa é única e requer cuidados específicos, que variam de acordo com a necessidade do caso. Portanto, nada de dar ouvidos à vizinha que se submeteu a uma plástica no nariz e sair por aí seguindo as recomendações “infalíveis” que ela lhe passou. Entenda que a sua conduta antes e depois do procedimento assume grande importância no resultado final e que o cirurgião lança mão de artifícios dirigidos especialmente a você.

E a cicatriz?

Muita gente pensa que a plástica é uma cirurgia sem cicatriz. Isto não é verdade. Toda intervenção cirúrgica deixa uma marca que poderá ser mais ou menos visível. Normalmente, ela é menos perceptível porque o cirurgião procura escondê-la em linhas naturais da pele e no cabelo por meio de técnicas minuciosas de fechamento de incisões.

Tenha em mente que toda cicatriz tem um tempo médio de maturação, que vai de três a seis meses, podendo chegar até um ou dois anos. Antes disso, você não consegue ver o resultado definitivo. É importante, durante este período, tomar os cuidados recomendados pelo médico, como o uso de adesivos cirúrgicos e pomadas, massagens especiais e abstenção de sol.

Existem riscos?

Toda cirurgia tem riscos. Na plástica, no entanto, eles são previsíveis e, na maioria das vezes, controláveis. De certa forma, as intervenções estéticas apresentam menos riscos que outras cirurgias. Isso é fácil de entender.

Somente é encaminhado para o procedimento quem estiver saudável, salvo algumas exceções. Antes da cirurgia é necessário se submeter a uma série de exames, que mostrarão a sua situação geral, bem como suas condições físicas.
 
Texto: Vanessa Cusumano


Drenagem linfática ou massagem modeladora?

As massagens estéticas não fazem milagres, mas ajudam
Na luta para dar um fim àquela gordurinha, que tanto incomoda, arme-se por todos os lados. Tenha uma alimentação correta, pratique exercícios físicos, beba muita água e aproveite os benefícios das massagens estéticas.

Qual delas, no entanto, tem melhores resultados? Drenagem linfática ou massagem modeladora? Descubra agora mesmo!

Drenagem linfática

Tranqüila, relaxante e suave, eis uma sessão de drenagem linfática. Os movimentos lentos e ritmados dão a sensação de bem-estar e reduzem a retenção de líquidos corporais, especialmente nas pernas e no bumbum. A massagem estimula o sistema linfático (responsável por drenar, filtrar e devolver o fluido entre as células de volta à circulação sangüínea) de modo a melhorar o curso de líquidos pelo corpo. É aí que o procedimento ajuda no combate à celulite, resultado de excesso de gordura e pequenos inchaços causados pela má circulação.

Após a massagem, as toxinas que ganhamos no dia-a-dia e que ficaram acumuladas, são eliminadas em maior quantidade pela urina e suor. A drenagem diminui os inchaços, desintoxica os tecidos e melhora a oxigenação e a nutrição celular. Com a eliminação do excesso de líquido retido no tecido gorduroso, pode ocorrer a redução de medidas, não de peso. A sensação de estar inchada some depois de uma sessão, que deve ser repetida periodicamente. A técnica é realizada manualmente ou com a ajuda de aparelhos. A massagem também é ótima para o inchaço da tensão pré-menstrual (TPM).

Contra-indicações: processos infecciosos ou inflamatórios, marca-passo, pinos ou placas metálicas, câncer, problemas renais, problemas pulmonares, epilepsia, hipertireoidismo, doenças do ovário e do útero.

Massagem modeladora

Dolorida nas primeiras sessões, a massagem modeladora é vigorosa e intensa. Funciona como uma espécie de minilipoaspiração manual, capaz de eliminar medidas e esculpir o corpo de quem perdeu ou está se livrando de alguns quilinhos. Para auxiliar a modelagem e a mobilização do tecido adiposo são necessárias manobras fortes para se atingir esta camada corporal, que é profunda. Os nódulos de gordura são desmanchados e vão para a corrente sanguínea, onde serão purificados. Em seguida, o corpo elimina as toxinas por meio de urina ou fezes.

No começo, a sensação de desconforto, especialmente no abdômen, existe. Dependendo da região a ser trabalhada, é possível reduzir de 5 a 10 centímetros das medidas. A técnica não requer aparelhos, mas apenas o trabalho manual e um creme com propriedades ativas, para não causar atrito das mãos no corpo. O tratamento é contínuo.

Contra-indicações: pessoas que tenham algum tumor, seja ele benigno ou maligno, gravidez e processos infecciosos ou inflamatórios.

Cuidados importantes

Se você pensa que as massagens são suficientes para emagrecer, reveja seus conceitos. Os tratamentos que você viu aqui eliminam medidas e alguns gramas de gordura, sem grandes alterações no peso corporal. Para não ganhar alguns centímetros novamente, é preciso ter uma alimentação saudável, fazer atividade física com freqüência e beber pelo menos dois litros de água diariamente. Lembre-se: as massagens estéticas ajudam sim, mas sozinhas não fazem milagres.

Texto: Vanessa Cusumano


Varizes: verdades e mentiras

Mulheres são mais propensas ao surgimento de varizes
As varizes incomodam, e muito, inúmeras mulheres, que se privam de usar saia ou até de ficar algum tempo em pé. Você deve conhecer alguém - se este alguém não for você - que reclama de cansaço e queimação nos membros inferiores, só amenizados com a elevação das pernas ou cirurgia. 

De acordo com a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV), as varizes são veias superficiais anormais, dilatadas, cilíndricas ou saculares, tortuosas e alongadas, caracterizando uma alteração funcional da circulação venosa do organismo. A SBACV explica também que a maior incidência ocorre no sexo feminino.

Para acabar com alguns mitos sobre as causas e a prevenção do problema, preparamos um tira-dúvidas sobre o assunto. Confira!

Vale lembrar que, se as varizes aparecerem, é sempre bom consultar um médico - só ele pode fazer o diagnóstico correto e iniciar o tratamento preciso.


Verdades

Mulheres têm mais varizes do que os homens
As mulheres costumam ter de duas a três vezes mais varizes do que os homens por causa dos hormônios. Elas também identificam o problema com mais facilidade por depilar as pernas com freqüência.

As varizes são genéticas
Caso sua mãe, seu pai ou sua avó tenham varizes, a chance de você sofrer com o problema é grande.

Meias elásticas ajudam a circulação
Se forem apropriadas às suas pernas e ficarem levemente apertadas na região do tornozelo (jamais na área do joelho), elas podem aliviar as dores e facilitar a circulação do sangue.

A gravidez provoca varizes
A alteração hormonal que acontece durante a gestação é um dos principais causadores do problema.

A alimentação influencia o surgimento de varizes
Uma alimentação saudável e equilibrada ajuda na manutenção do peso, o que diminui as chances de desenvolvimento de varizes.

Anticoncepcional causa varizes
Geralmente eles provocam alterações hormonais, e isso pode acarretar o surgimento de veias doentes nas pernas.

Varizes podem levar à trombose
Se a circulação ficar muito prejudicada por conta das varizes, existe o risco de formação de coágulos, que levam à Trombose Venosa Profunda (TVP).

Ficar muito tempo sentada causa varizes
Se você permanecer muito tempo sentada na mesma posição (o que acontece em longas viagens), o retorno do sangue da perna ao coração fica comprometido. O ideal é beber bastante água, fazer pequenas caminhadas ou o movimento de “sobre e desce” com o tornozelo e os pés.


Mentiras

Salto alto causa varizes
Estudos afirmam que o salto beneficia a circulação sangüínea e evita o surgimento de varizes. O uso freqüente do salto, no entanto, prejudica a batata da perna. O ideal é alongá-la antes e depois de usá-lo.

Cremes melhoram o problema
Não há comprovação científica de que os cremes eliminam as varizes.

Musculação provoca varizes
Pelo contrário, o que acarreta o surgimento das veias doentes é o sedentarismo. Os exercícios estimulam a circulação do sangue e previnem as varizes.

A cirurgia de varizes é de alto risco
A retirada da veia doente é feita por meio de um pequeno corte, de apenas 1 mm, e a anestesia é controlada por equipamentos. O procedimento é bem seguro.

A retirada da veia doente prejudica a circulação
As veias que são retiradas, por estarem doentes, não colaboram para a circulação. Ao contrário, a retirada causa melhoria na circulação das pernas, aliviando sintomas e prevenindo as implicações da evolução da doença.

Cruzar e depilar as pernas provocam o aparecimento de varizes
O cruzar de pernas e a depilação não interferem no surgimento de varizes.

Texto: Vanessa Cusumano


Pernas livres de vasinhos? É pra já!

Os vasinhos atingem 80% das mulheres e surgem com mais freqüência nas pernas
Se você chegou até aqui é porque conhece muito bem aquelas pequenas linhas vermelhas que teimam em surgir especialmente nas panturrilhas, nas coxas e ao lado dos joelhos, certo?

Se servir de consolo, saiba que você não está só. Os vasinhos aparecem em 80% das mulheres e surgem como conseqüência de hematomas, sedentarismo, alterações hormonais, excesso de progesterona, obesidade, predisposição genética e gravidez.

O que eles são?

Funciona assim: vasos da espessura do fio de cabelo se dilatam quando são submetidos a algum tipo de pressão. Como a parede deles é bem fina, vemos ramos avermelhados, que correspondem ao sangue que ficou retido por lá.

Onde aparecem?

Além de surgirem nas pernas com maior freqüência, eles podem aparecer também na face, no colo, nos seios, no abdômen, nas costas e nos pés.

Vasinhos ou varizes?

A diferença entre vasinhos e varizes está na espessura e na localização. Os primeiros têm entre 0 e 1 mm e são relativamente superficiais. Já as varizes são as dilatações das veias subcutâneas com calibres superiores a 4 mm. Além disso, os vasinhos raramente causam dor, ao contrário das varizes.

Questão de estética à parte, o nome técnico dos vasinhos assusta: telagiectasias. Os tratamentos disponíveis para acabar com o problema, ao contrário, não são nada amedrontadores.

Como nem tudo são flores, dificilmente você se verá livre dos vasinhos para sempre. Se houver predisposição ou aparecer qualquer outro fator desencadeante, lá estarão eles novamente (exceto aqueles que já foram tratados). A recomendação é visitar o médico vascular a cada um ou dois anos para avaliação.

Tratamentos para acabar com os vasinhos

Como funciona: o médico aplica injeções de uma substância esclerosante (normalmente glicose), que fecha os pequenos vasos. É tudo feito no consultório e a paciente já pode ir para casa andando depois da sessão. As picadinhas quase não doem, pois a agulha usada é bem fina. Não requer o uso de meias especiais e assim que os pequenos hematomas sumirem já é possível se expor ao sol.

Contra-indicações: doença vascular secundária ao diabete, histórico de embolia pulmonar ou trombose venosa profunda, pressão alta e gravidez.

Efeitos colaterais: podem aparecer pequenos hematomas no local das injeções, que pode ficar dolorido por alguns dias.

Número de sessões: depende da quantidade de vasinhos. Pode variar de uma a vinte.

Laser:

Como funciona: a luz do laser atravessa a pele e atinge a hemoglobina do vasinho para provocar a sua destruição. Funciona em veias muito finas.

Contra-indicações: é preciso fazer um teste antes do tratamento para verificar se as características da pele são favoráveis ao procedimento. De maneira geral, o uso do laser é mais adequado para as pessoas de pele clara.

Efeitos colaterais: podem aparecer manchas ou queimaduras na pele.
Número de sessões: depende da paciente. Pode chegar a dez. Requer menos sessões do que a escleroterapia.

Crioescleroterapia e Criolaser:

Como funciona: na crioescleroterapia, a seringa com a substância esclerosante é resfriada a -40º C. No criolaser, o médico resfria a pele antes da aplicação, usando um aparelho chamado Cryo. Em ambos os casos, o frio funciona como um anestésico.

Contra-indicações e efeitos colaterais: os mesmos da escleroterapia e do laser.

Número de sessões: aproximadamente duas.

Texto: Vanessa Cusumano